Quem sou eu

Minha foto
Sou escritora e atriz. Adoro ler, escrever, assistir a filmes e ir ao teatro. Escrevi dois livros "A ilha e a menina" e "Livremente Mara", que virou peça de teatro e estreia no final deste ano.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Grupo Fábula presenteia seu público com duas peças teatrais


Com a finalidade de comemorar os nove anos de existência, o Grupo Teatral Fábula apresentará duas peças de teatro em novembro: “Pluft, o fantasminha” e “A mendiga e o magnata”.

Pluft, o fantasminha

A peça “Pluft, o fantasminha” será apresentada nos dias 9, 10 e 11 de novembro, às 20:30 horas no Teatro Municipal de Alfenas. Escrito em 1955, por Maria Clara Machado, esse texto transpõe o tempo e diverte crianças de todas as idades.

A história acontece num sótão de uma casa velha em que mora uma família engraçada de fantasmas: o fantasminha Pluft, que tem medo de gente, a Senhora Fantasma, mãe do Pluft, que adora falar com a sua prima Bolha ao telefone e o Tio Gerúndio, que dorme dentro de um baú.

O lugar deixa de ser calmo quando o terrível pirata Perna-de-Pau invade a casa trazendo a adorável menina Maribel, raptada por ele. O pirata procura um tesouro que provavelmente encontra-se no sótão.

As atrapalhadas amigas de Maribel, Juliana, Sebastina e Joana vão tentar salvar a menina do maldoso pirata.

A surpresa é que, Pluft, mesmo com medo de gente, vai fazer de tudo para ajudar Maribel a sair dos domínios de Perna-de-Pau, fazendo com que os dois fiquem muito amigos.

            “É uma peça divertida e que faz rir crianças e adultos, além de ser uma peça clássica, fazendo com que o público infantil alfenense tenha contato com o que há de melhor em obras infantis.” – comenta a escritora e atriz Raquel de Souza que atua como a Senhora Fantasma.
 

 
            Segundo o diretor da peça –  Marcelo Divino - há nove anos, quando foi montado o Grupo Teatral Fábula, ele teve contato com o texto de “Pluft, o fantasminha” e se encantou por ele. Ao pesquisar sobre o texto e sua autora, descobriu que a peça era um ícone das peças infantis. Sendo a peça de ótima qualidade e que todos do grupo gostavam resolveram montá-la no ano de 2003. No começo da montagem foi complicado por conta da inexperiência do grupo, mas a disciplina, a responsabilidade e o talento dos jovens atores superou as dificuldades e fez da primeira estreia de “Pluft, o fantasminha” um sucesso.

            A remontagem dessa peça em 2012, de acordo com Marcelo Divino, é um sonho muito antigo. Ele precisava ter um elenco capaz para que a segunda versão não ficasse devendo nada para a primeira montagem.

            “É uma responsabilidade muito maior agora, pois a peça fez muito sucesso e não poderia ficar devendo nada na segunda montagem. Por isso esperei ter o elenco certo em minhas mãos para que pudéssemos montar a peça.” – pontua Marcelo Divino.

            Para seleção dos papéis foram feitos laboratórios, leituras, pesquisas até chegar ao elenco que hoje está na peça. Esse elenco é composto de: Amanda Borges, Aneelise Oliveira, Bianca Frenhan, Kelvin Divino, Luana Marques, Lucas Rodrigues, Mari Silva, Marcelo Divino, Pedro Lacerda e Raquel de Souza. Ficha técnica: Matheus Divino Rodrigues (sonoplastia), Lourival Rodrigues (cenário), Raquel de Souza (figurino e maquiagem), Marcelo Divino (direção geral).
Foto do elenco de “Pluft, o fantasminha”

 

A mendiga e o magnata

A comédia “A mendiga e o magnata” será apresentada na semana seguinte, nos dias 16, 17 e 18 de novembro, às 20:30 h, no Teatro Municipal de Alfenas.

            Essa peça divertidíssima foi adaptada do texto “O mendigo e o magnata” de Rutinaldo Miranda Junior e fala de modo bem humorado de um dia ruim de Thomas, um milionário investidor da bolsa de valores. Certo dia tal magnata é assaltado por dois ladrões ao lado de Severina, uma mendiga que acabara de ignorar. Severina tenta ajudar Thomas, que por sua vez a esnoba e desperdiça sua chance de não ser assaltado. Com isso a situação é invertida, e Thomas acaba conhecendo um pouco a triste e sofrida vida dessa mendiga, aprendendo com ela certas lições da vida.

            “A peça, apesar de muito cômica, passa uma mensagem inteligente, sobre como é a vida de hoje, tão difícil para alguns, e fácil para outros, enfim, não dá para perder” – diz empolgada a atriz Yanka Gabrielly, que faz o papel da mendiga Severina.
 

            Para a seleção da peça “A mendiga e o magnata”, foi feita uma pesquisa na internet sobre as obras de Rutinaldo Miranda Junior, autor de “O casamento de Maria Feia” em que foi baseada a peça “Nada é o que parece” – até hoje em cartaz pelo grupo, sendo apresentada em escolas, teatros e instituições.

Desse modo, foi encontrado o texto, no qual os atores apreciaram por ser cômica e também abordar o lado social. Foi feita uma reunião para decidir quem seriam os diretores da nova peça. Assim, foram escolhidas duas atrizes com mais bagagem teatral para dirigir: Lari Macedo e Isadora Custódio. Esse é o segundo trabalho delas enquanto diretoras, sendo que o primeiro trabalho foi realizado o ano passado no Festival de Esquetes do Programa Cidade Escola de Alfenas. Todas as duas direções foram premiadas no festival e o belo trabalho realizado chamou a atenção de Marcelo Divino que acabou por escolhê-las para montar “A Mendiga e o Magnata”.
Foto com o elenco da “A Mendiga e o Magnata”

Elenco:Yanka Gabrielly, Kleber Thiers, Mary Oliveira, Lucas Morais. Direção: Lari Macedo e Isadora Custódio. Produção: Marcelo Divino.

Ingressos:

A valor do ingresso para as duas peças é o mesmo sendo que:

Estudante: R$ 4,00

Inteira: R$ 7,00

Ingresso - pacote (para as duas peças):

Estudante: R$6,00

Inteira: R$ 10,00


Mais cultura para Alfenas

Além do Grupo Teatral Fábula comemorar os seus nove anos com essas duas peças imperdíveis, agora eles estão na luta para formalizar uma associação (Associação de Teatro e Literatura Fábula – ATELIFA) onde o grupo pretende enriquecer, como já vem fazendo todos esses anos, Alfenas na área teatral e literária.

“Para a formalização dessa associação temos o apoio total do vereador Sander Simaglio, pois sem essa ajuda não teríamos a possibilidade de estar tão certos do que podemos fazer enquanto ONG. O Grupo Teatral Fábula agradece a ajuda desse grande homem.” – comenta Marcelo Divino.

E o Grupo Teatral Fábula não para. Já está montando a peça “O Castelo Desencantado” para o ano que vem. Além disso, o grupo planeja para o futuro continuar apresentando as peças que foram sucesso em 2012 e montar novas peças, inclusive tendo como meta a montagem de uma peça clássica uma vez por ano, seja ela infantil ou adulta, comédia ou drama.

Atualmente o grupo conta com 20 integrantes e atua com a filosofia de que o teatro pode formar não apenas atores, mas seres humanos melhores, instrumentos de mudança na sociedade, e na própria realidade.

 

Maiores informações:

Marcelo Divino (35) 8817-4038 ou (35)9131-5946

 

 

 

 

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Para que serve horário de verão?

 
Esse horário de verão só foi feito para deixar a gente com sono. Que vantagem isso tem? Alguém poderia me esclarecer? Não vou me adequar a esse horário, vou mesmo é atrasar meus compromissos!!!!! Enquanto ainda é tempo! Daqui uns dias minha vida que gato livre chega ao fim. Falando em gato, esse era o Dinho. No dia em que o Grupo Teatral Fábula fez nove anos fizemos uma festa aqui em casa e o gato "cascou na poeira" assustado com tanta gente. Saudades, Dinho!

 
Esses são os brigadeiros da nossa festa! Que pena que o gatinho não gostou! Parece engraçado, mas o Dinho deixou um vazio aqui dentro, uma nostalgia difícil de curar.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Quebra-cabeças estranho


O dia hoje o dia apareceu luminoso! Com a alegria que vem de fora, restauramos alguns desenganos e recomeçamos nossa vida bem. As coisas se encaixam vagarosamente como um quebra-cabeças estranho. Lutamos ferozmente, nos estressamos, ficamos cansados. Só que, quando temos tempo ficamos culpados de ficar de papo para o ar enquanto a vida borbulha lá fora. O mundo está do lado do avesso e, de alguma forma, todos nós somos contagiados por essa loucura.


 

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

O teatro me disse "sim" e esse é o começo

É com muito orgulho que venho anunciar que estrearei na peça infantil "Pluft, o fantasminha" de Maria Clara Machado. Sempre tive vontade de atuar, mas nunca tive oportunidade. Chegou a hora! O teatro chegou para mim naturalmente, como se já fizesse parte dele. Não precisei forçar, ir atrás, nunca levei um "não". Muito pelo contrário: o teatro me disse "sim" e aqui estou. Agradeço ao diretor Marcelo Divino que me incentivou e tem tido muita paciência em me preparar e me dirigir nessa minha primeira peça. Tenho aprendido muito. E hoje percebo que a vida tem me concedido muito mais "sim" do que "não". Agradeço também a boa acolhida do Grupo Teatral Fábula quem tem feito minha vida muito mais cheia de cor e a adaptação à nova vida muito mais fácil.

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Sonhos desabados


Hoje resovi acordar tarde, não ir à academia como faço todas as manhãs. Decidi dormir mais. Acabei sonhando que morava numa casa antiga que acabou desabando comigo dentro e tudo, uma baderna só. Ainda bem que não era verdade. De alguma forma, acho que meus sonhos desabaram. Levei mais um "não" da vida. Por algum tempo ficarei assim amuada como estou, mas tenho certeza que logo recupero as minhas energias e sigo adiante. É hora de sacodir a poeira, arrumar os estragos e nem olhar para trás. A vida deve ter outros planos para mim. Só que insisto muito em fazer as coisas do meu jeito, do modo em que planejei. Vejo tanta gente fazendo isso. Por que comigo não dá certo? Parece que estou presa de algum modo. Não entendo, mas vou ter que compreender.