Quem sou eu

Minha foto
Sou escritora e atriz. Adoro ler, escrever, assistir a filmes e ir ao teatro. Escrevi dois livros "A ilha e a menina" e "Livremente Mara", que virou peça de teatro e estreia no final deste ano.

terça-feira, 30 de abril de 2013

Lola na literatura é muito melhor



O bom de se ter um blog é que a gente pode escrever sobre tudo, dar a opinião, até mesmo quando não te perguntam. Agora mesmo estou procurando alguns blogs para seguir e resolvi fazer uma pesquisa, afinal me formei em Letras na Ufscar e gostaria de seguir alguns blogs dos meus colegas de curso. Qual a decepção de olhar e ver que no page rank de hoje só se vincula Letras Ufscar à Lola Benvenutti, uma garota de programa formada em Letras na Federal. Essa história me fez lembrar de um conto de Whisner Fraga, meu velho amigo de Letras, da mesma instituição. Um conto sobre uma moça culta que era garota de programa, inclusive esse livro (Coreografia dos Danados) está sendo relançado. Era muito bom o conto e instigava a nossa imaginação. Só que ao me deparar com a realidade nua e crua fiquei um pouco chocada. Me estaquei a não saber o que pensar disso tudo. Só concluí que é difícil ganhar destaque sem arrancar a roupa e fazer alusão ao sexo, não ao sexo com requintes literários, mas ao sexo “nu e cru”. Embora sexo sem poesia acabe tão rapidamente quanto ao coito propriamente dito e fique tudo por isso mesmo, não ficando nada de novo debaixo do sol.

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Os amores da minha vida

Grupo Tetral Fábula. Foto: Guilherme Fogari
Fechei os olhos, pedi descanso embora fossem poucas as horas reservadas ao meu sono. Sonhei com novos projetos, uma vontade de fazer tantas coisas. Sorrio. Houve tempo em que não vislumbrava nada, não tinha ideias, não sabia para onde ir... Perdida. O amor me reconstruiu, principalmente o amor por mim mesma porque foi dele que veio todo o amor ao meu redor. Com todo esse amor me recuperei, curei as minhas feridas, sacodi a poeira da estrada, limpei meus pés de uma terra que não quero mais pisar. Obrigada ao meu marido, aos  meus verdadeiros amigos, a minha família, ao Grupo Teatral Fábula e à ATELIFA (Associação de Teatro e Literatura Fábula). Vocês são parte de mim.


sexta-feira, 26 de abril de 2013

Gabriela monogâmica, e daí?



As coisas andam tão de cabeça para baixo que ultimamente Gabriela começou a refletir que andar em retidão passou a ser motivo de estranhamento. Não me venha com esse papo imbecil de liberdade individual, que isso é conversa para boi dormir. O que vale mesmo é o respeito pelo próximo, o carinho, a cumplicidade. Deixemos a liberdade individual para os solitários. Quem tem alguém por perto, quem assumiu compromisso, honre-o. Tire as suas patas da minha vida, eu não sei por que motivo você achou que poderia trair tudo que sinto, tudo que vivo por uma fugacidade qualquer. Acha que vinhos caros, comida boa me atrai? Há quantos anos nos vimos pela última vez? Hoje proporciono o que quero com o suor de meu rosto, não preciso das suas esmolas regadas de luxo. Poupe-me de suas palavras inconvenientes. Há muito que não sou quem procuras. E me sinto orgulhosa disso. Gabriela levantou a sua cabeça e sorriu com escárnio dessa gente que acha que só porque é artista tem que proclamar a liberdade dissimulando, enganando o próximo achando-se incompreendido nessa sociedade plastificada. Se quiser se esbaldar do que a vida estritamente carnal proporciona, fique à vontade, mas não ponha o peso disso na Arte. Ela é sagrada e não depende de desvios de conduta para aflorar. Quem ainda pensa que a Arte nasce da experimentação compulsiva regrediu pelo menos um século. A Arte nasce do espírito, de nossa massa etérea que sente e sabe de coisas que não passam pela nossa consciência em primeira mão, mas por meio da expressão artística. Em nossos corpos estão gravados em DNA de milhares de anos nossa experiência humana. Precisa mais? Gabriela ajeita a sua bolsa no ombro e continua o seu caminhar pela cidade, enquanto observa o pôr-do-sol.

Raquel de Souza

 

terça-feira, 23 de abril de 2013

Criar um blog - Aventurar sobre o que você tem a dizer ao mundo


Criar um blog pode ser bem divertido e inesperado. Hoje em dia, com a opção de poder divulgar os posts no facebook, se aumenta muito a possibilidade do blog ser lido. No meu blog quase ninguém o comenta, mas quando olho as estatísticas, percebo que sempre está sendo visto. É isto que é importante, não? Para quem quiser entrar nessa aventura, dê uma olhada nas dicas do meu artigo no Portal UOL.


 

Deixe suas fotos mais bonitas


Para quem quer dar um toque especial em suas fotos, mas não entende muito de edição de imagens, uma boa pedida é usar o Photoscape, um editor de imagens simples de manusear. Quem quiser saber mais dá uma olhada no meu artigo publicado no Portal UOL.


 

Costurar memórias


Quando penso em costura, logo lembro da minha avó paterna fazendo imensas e intermináveis colchas de retalhos, e de minha avó materna consertando roupas e mais roupas. Lembro também de minha mãe, sempre customizando as vestimentas da família e, de repente, ontem me dei conta que estou na mesma linhagem, colecionando fantasias de teatro, reparando-as e me deliciando com o cheiro de roupa limpa e passada. Me dou conta que através das roupas, das minhas humildes tentativas de costura ainda reproduzo a minha linhagem ancestral feminina e, do meu modo, à modernidade dos tempos, represento-a.

Falando em costura, uma reflexão sobre corte e costura através dos tempos no Portal UOL.


 

A Arte preenche a Alma


Nós, da ONG ATELIFA (Associação de Teatro e Literatura Fábula), temos como princípio o estímulo ao gosto pelo teatro e pela leitura. Arte, essa coisa tão gostosa da vida não pode estar restrita a apenas algumas pessoas, mas sim para o povo. Esse nosso povo que, muitas vezes, só tem como opção de lazer a novela das oito, um futebolzinho televisionado entre milhões de propagandas e ideologias, compre, compre, compre. Você é um completo infeliz se você não comprar aquele carro ali, está vendo? Está vendo porque a sua mulher é uma baranga e não aquela bunduda sorridente olhando para você, na sua sala, com sofá rasgado pelas unhas do seu gato e pelo uso compulsivo, se plantando, se enterrando aos poucos na espuma do sofá como um pé de couve infeliz.  Você culpa as suas desgraças porque não pode adquirir aquelas coisas que te oferecem o tempo todo na telinha enquanto que as coisas são muito mais complexas. E é isso que a Arte faz com as pessoas, abre a mente delas, o sorriso e a vida têm mais sentido. Viram menos consumistas porque se completam com outras coisas, a Arte preenche a alma.

Distribuição do romance Livremente Mara da escritora e atriz Raquel de Souza após o espetáculo "Deu a Louca nesse Fábula" do Grupo Teatral Fábula, no dia 14 de abril de 2013.

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Deu a Louca nesse Fábula 3 – peça de grande público, estará novamente em cartaz


                                                  Esquete "Qual é o preço do Amor?"
 
 

            Devido ao sucesso da estreia de “Deu a Louca nesse Fábula 3” o espetáculo será reapresentado nos dias 26, 27 e 28 de abril, às 20:30 horas no Teatro Municipal de Alfenas.

 

A apresentação é uma montagem das melhores peças curtas do grupo teatral, levando o público a emocionar-se com o drama “Qual o preço do amor?”, a rir com a irreverência da peça “A Morte”, ir à loucura com “As dez mais do córtex cerebral”, pirar com a realidade do casamento moderno em “Casamento às avessas”, divertir-se com “Um milhão” e assistir à confusão de “O sequestro”.
                                                                  Esquete "A Morte"
 

O Grupo Teatral Fábula, apoiado pela Associação de Teatro e Literatura Fábula (ATELIFA) trabalham sempre em prol de levar a arte teatral e literária para a cidade de Alfenas. Com isso, além da peça, serão distribuídos exemplares do romance “Livremente Mara” da escritora Raquel de Souza. A próxima montagem do grupo, inclusive, é uma adaptação de “Livremente Mara”, peça muito esperada pelos jovens leitores alfenenses.
                                                Esquete "As dez mais do córtex cerebral"
 

Os ingressos de “Deu a Louca nesse Fábula” estão sendo vendidos a um preço acessível para que toda a população possa ter a oportunidade de assistir a essa peça imperdível.
                                                                 Esquete "O sequestro"
 

“Já vi a peça, mas vou de novo e desta vez levo um monte de amigos, pois neste mundo tão louco e agressivo, temos que ver coisas boas apresentadas por gente que se importa em trazer um sorriso para o povo.” - parabeniza uma espectadora do Grupo Teatral Fábula, Bete Moura.
 
                                                      Esquete "Um milhão"

 

Investimento Cultural – Inteira: 5 reais, Meia: 3 reais. Mais informações (35) 8817-4038

                                                           Esquete "Casamento às avessas"
Fotos: Guilherme Fogari

terça-feira, 16 de abril de 2013

O verdadeiro pão


 
O sabor do pão
 

A vida não é para se para se esbaldar,

para se comer aos potes.

Ela é para se deliciar aos pedacinhos e,

entre cada pedaço, um descanso.

De nada vale as vitórias

se não comemorarmos e

alimentarmos da alegria da vitória.

 

Raquel de Souza 16/04/2013

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Nossa peça teatral no G1!


 
Pessoal, foi com muita satisfação que hoje conferi uma matéria no G1 falando da nossa peça que será apresentada hoje, amanhã e depois (12,13 e 14 de abril de 2013) no Teatro Municipal de Alfenas, “Deu a louca nesse Fábula”.

Teatro para mim é uma alegria, onde tenho a oportunidade de sentir e ser várias pessoas, mesmo sendo eu mesma. Teatro é entrega, suor, dedicação. A recompensa não vem do retorno financeiro e sim da energia do público, energia esta que alimenta a minha alma.

Olha aqui a matéria:


 

terça-feira, 9 de abril de 2013

Deu a Louca nesse Fábula 3 – mais um espetáculo do Grupo Teatral Fábula está em cartaz neste fim de semana


 

O espetáculo Deu a Louca nesse Fábula 3 acontecerá nos dias 12, 13 e 14 de abril, às 20:30 horas no Teatro Municipal de Alfenas.

A apresentação é montagem das melhores peças curtas do grupo teatral, levando o público a emocionar-se com o drama “Qual o preço do amor?”, a rir com a irreverência da peça “A Morte”, ir à loucura com “As dez mais do córtex cerebral”, pirar com a realidade do casamento moderno em “Casamento às avessas”, divertir-se com “Um milhão” e assistir à confusão de “O sequestro”.

O Grupo Teatral Fábula, apoiado pela Associação de Teatro e Literatura Fábula (ATELIFA) trabalham sempre em prol de levar a arte teatral e literária para a cidade de Alfenas. Com isso, além da peça, serão distribuídos exemplares do romance “Livremente Mara” da escritora Raquel de Souza. O próximo espetáculo do grupo, inclusive, é uma adaptação de “Livremente Mara”, peça muito esperada pelos jovens leitores alfenenses.

Os ingressos de “Deu a Louca nesse Fábula” estão sendo vendidos a um preço acessível para que toda a população possa ter a oportunidade de assistir a essa peça imperdível.

 

 

Investimento Cultural – Inteira: 5 reais, Meia: 3 reais.