Quem sou eu

Minha foto
Sou escritora e atriz. Adoro ler, escrever, assistir a filmes e ir ao teatro. Escrevi dois livros "A ilha e a menina" e "Livremente Mara", que virou peça de teatro e estreia no final deste ano.

sábado, 18 de setembro de 2010

eu voava por aí

sonhei que andava de avião
e voava por entre as nuvens
encostei-me no banco e sorri
com a expectativa do destino
em que vou colocar meus pés
e alegria do meu corpo

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

A casa

Olá amigos,
Para hoje, um escrito feito às pressas:

A casa

a volta para casa
pode dar um sentimento abrupto
de solidão.
é que podemos não encontrar
as pessoas que deixamos
é que podemos deixar
as pessoas que não encontramos mais
na volta para casa
damos de cara com nossos poucos
amigos
e sorrimos porque do pouco se faz muito
dentro da minha casa.

Quel

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Falta-me ar

Olá amigos,
Bom dia!
Hoje estou com falta de ar provavelmente causada pela abstinência do cigarro. Hoje faz 17 dias que não fumo. Tem dias que começo a esquecer desse hábito ruim, outros fico até com falta de ar. Mas isso passa.
Tive uma "reunião" mais cedo numa escola. Levantei cedinho, tomei meu café e parti para a reunião. Cheguei lá e nem vi a cara da diretora da escola. Eu vou desenvolver um projeto na escola dela, doar meu romance para os alunos do EJA (Educação para Jovens e Adultos), fazer um trabalho de incentivo à leitura e a mulher nem quer saber a cor do meu rosto. Mas eu não desisto fácil. À noite estarei lá de novo e ela vai ter que me receber. Esse projeto vai ficar muito bem desenvolvido e não é porque ela não está nem aí para isso que meu projeto vai ficar mal feito. Tudo tem que ficar muito dentro dos conformes. Afinal de contas, as empresas e a prefeitura financiam meu projeto para que ele saia tinindo de bom. E vai sair.
Um dia maravilhoso a todos!
Quel

domingo, 12 de setembro de 2010

Que bom voltar para casa!

Olá amigos,

Que bom é poder escrever de novo aqui! Parece que retornei depois de um longa viagem, daquelas que a gente faz dentro do peito. Sinto aquele conforto caloroso de quem volta para casa.
Para variar é bom poder escrever algo que não seja acadêmico!
Beijos,
Raquel de Souza